sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Computador do tamanho de um cartão de crédito à venda em janeiro


Um computador de baixo custo com o tamanho de um cartão de crédito. É assim que o Raspberry Pi tem sido apresentado, mas não são estas as únicas características a definir o micro-computador que chega ao mercado em janeiro, com preços a partir de 25 dólares.

A ideia que, em 2006, precedeu ao desenvolvimento do dispositivo, criado no Reino Unido, era disponibilizar um computador pequeno e barato, que estivesse ao alcance dos bolsos dos estudantes e mudasse a forma como estes se relacionam com as máquinas e com a programação.


O resultado é um micro-computador - 85,60mm x 53,98mm x 17mm e 45 gramas de peso -, que se liga a uma televisão (ou monitor) e a um teclado e pode ser usado para muitas das tradicionais funções de um PC, como o processamento de texto, criação de folhas de cálculo ou para jogar. Além disso, suporta reprodução de vídeo em alta definição.


Na sua configuração básica, a pequena máquina, que corre Linux, vem equipada com um processador ARM, portas USB, saídas de áudio e vídeo, HDMI, e entrada para cartões SD. Esta versão estará à venda por 25 dólares.

O chamado modelo B custa mais 10 dólares, mas conta com o dobro da memória RAM (256MB), porta Ethernet - como mostra um esquema publicado no site do projeto.

Embora o Raspberry Pi não conte, por exemplo, com recetor Wi-Fi, este poderá ser acrescentado através de um periférico ligado por USB. A entrada (micro) USB será também a forma de alimentar o micro-computador, esclarece-se.

Os primeiros exemplares do equipamento deverão ficar disponíveis para venda onlineainda em janeiro e, de acordo com os responsáveis, o objetivo é assegurar as entregas internacionais desde o início.



Fonte: Sapo

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

As dez coisas que ninguém sabia sobre Kim Jong-Il


O 'Comandante Sempre Vitorioso e de Vontade Férrea', conhecido por usar saltos altos para parecer menos baixo, bem como pelos óculos escuros dos quais raramente abdicava, escondeu outros 'segredos' que agora aparecem revelados nas páginas da imprensa internacional. O britânico The Guardian avança com uma lista de 10 situações até agora desconhecidas do público em geral acerca do 'General Glorioso que desceu do Céu'.
1. De acordo com a versão do regime, Kim Jong Il nasceu em 1942 numa cabana na encosta do Monte Paektu – montanha sagrada para os norte-coreanos que se localiza na fronteira da Coreia do Norte com a China. No momento do seu nascimento uma andorinha foi vista no céu, sinalizando uma Primavera precoce, um arco-íris duplo foi visto nas imediações e, de noite, uma nova estrela brilhou no céu.

De acordo com os registos soviéticos, o pequeno Jong terá nascido em 1941 na aldeia siberiana de Vyatskoye.

2. O jovem Kim Jong foi oficialmente avistado pela primeira vez no início dos anos 70, em Malta. O herdeiro da Coreia do Norte encontrava-se se na ilha do Mar Mediterrâneo a receber aulas de inglês do primeiro-ministro maltês da altura, Dom Mintoff.

3. Ao suceder ao seu pai, o 'Grande Líder' Kim Il-sung, no ano de 1994, recebeu mais de 200 títulos oficiais, entre os quais se destacam: 'Estrela Guia do Século XXI', 'General Glorioso que desceu do céu' e 'Político Incrível'.

4. Em 1994 jogou-se, pela primeira vez, golfe na Coreia do Norte. Como não poderia deixar de ser, Kim Jong teve a honra de jogar essa partida inicial. Desde esse primeiro dia, o Querido Líder demonstrou uma apetência fora do normal para aquele desporto, consta que era mesmo muito bom no que toca à prática do golfe.

5. Em 2006, em resposta a um teste nuclear por parte da Coreia, os EUA decretaram sanções contra o país. Tendo conhecimento da obsessão de Kim Jong-Il por bens de luxo – como Chanel no 5, Segways, selos raros, jóias, televisões plasma, peles verdadeiras e falsas – os norte-americanos fecharam a torneira das exportações desses produtos para o país.

6. Tinha uma colecção de mais de 20 mil vídeos e DVDs, sendo os seus preferidos incluíam os norte-americanos Rambo e Sexta-feira 13, bem como a obra completa de Elizabeth Taylor.

7. Em 1978 o Querido Líder ordenou o rapto do realizador sul-coreano Shin Sang-ok e da sua mulher Choi Eun-hee, com o objectivo de obrigar o cineasta a realizar uma versão socialista do filme Godzilla, a sua obra cinematográfica preferida.

8. Ermanno Furlanis, um chefe italiano que trabalhou directamente com o ditador, escreveu um livro acerca da sua experiência. Conta que lhe era exigido que cortasse sashimi a partir de peixes vivos e que nunca colocasse anchovas nas pizzas. Das suas memórias fazem ainda parte viagens ao Uzbequistão para comprar caviar, à Dinamarca para comprar porco, à China para comprar uvas e à Tailândia por mangas e papaias.

9. Um médico que trabalhou directamente para Jong, revela ainda que uma equipa de 200 pessoas trabalhava diariamente para elaborar a dieta ideal, aquela que garantiria ao Líder uma vida mais longa.

10. Em 2000 foi introduzido na Coreia do Norte um novo prato chamado 'Gogigyeopbbang', supostamente inventado por Kim Jong-Il. Consistia em duas fatias de pão com carne no meio, aquilo que vulgarmente é descrito como um hambúrguer.


Sol.Sapo.pt

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Aparelhos controlados com o pensamento e o fim das passwords até 2016


Imagine um mundo em que basta pensar num número de telefone para que o nosso telemóvel faça a chamada e que não seja necessário perder tempo a criar uma password de que ninguém se lembra quando é preciso. Para os especialistas da IBM, a tecnologia que nos tornará ainda mais ligados às máquinas e, por outros motivos, mais ligados uns aos outros, vai registar grandes avanços nos próximos cinco anos.

As cinco previsões da empresa tecnológica norte-americana para os próximos cinco anos – o IBM Five in Five, que já vai na sexta edição – põem-nos a gerar energia enquanto andamos de bicicleta, a dar ordens aos computadores com o poder da nossa mente, a usar as nossas características físicas para levantar dinheiro nas caixas Multibanco, encurtam as diferenças de acesso à tecnologia entre os mais ricos e os mais pobres e transformam o spam em informação prioritária.

Mas vamos por partes.

É um dado adquirido que tudo o que se move ou produz calor pode gerar energia. O que a IBM acredita é que, até 2016, os avanços na área das energias renováveis vão tornar comum, por exemplo, o uso de pequenos aparelhos nas rodas das bicicletas para recarregar pilhas ou baterias, que depois podem ser usadas em casa. Não é que ainda não seja possível, mas neste caso a mudança será mais a nível cultural – a IBM acredita que, nos próximos cinco anos, a ideia de que nós podemos gerar a nossa própria energia vai enraizar-se. Por outras palavras, será comum sair de casa para comprar pão e regressar com energia suficiente para usar a máquina de barbear.

Outra das previsões da IBM aponta baterias contra as passwords. Não só as que criamos para ler o correio electrónico mas também as várias combinações de letras e números de que precisamos para levantar dinheiro, por exemplo. A resposta está nos dados biométricos – as nossas características faciais, a nossa voz ou os nossos olhos –, que serão cada vez mais usados para comunicarmos com as máquinas. A ideia é que todos esses dados biométricos, que são diferentes de pessoa para pessoa, serão integrados através de software numa espécie de password genética online, que mais ninguém conseguirá identificar. Por razões de segurança, esta password genética só incluirá os dados que o utilizador quiser.

Pensar é agir

Uma das áreas mais fascinantes das previsões da IBM para os próximos cinco anos é a leitura da mente. Os investigadores da empresa não acreditam que até 2016 será possível rejeitar uma chamada do patrão só com o pensamento, mas apostam que vamos começar a ver aplicações práticas dos conhecimentos actuais na indústria do entretenimento, mais especificamente nos jogos de vídeo.

Os investigadores na área da bioinformática já fazem experiências há algum tempo com capacetes e sensores que conseguem ler a actividade cerebral e reconhecer expressões faciais, níveis de concentração e até pensamentos sem que as pessoas tenham de mexer um dedo. Segundo o comunicado da IBM, os seus próprios investigadores estão a estudar formas de ligar os nossos cérebros a aparelhos electrónicos, para que um dia seja possível fazer uma chamada telefónica ou mover o cursor de um rato apenas com o poder da mente.

Para quem acha que não vale a pena tanto trabalho só para podermos falar mais comodamente ao telemóvel, a IBM salienta que esta tecnologia terá também implicações na medicina – no estudo e compreensão de várias doenças que afectam o cérebro, como o autismo.

Encurtar o fosso tecnológico entre ricos e pobres

Apesar do ar de ficção científica de algumas das previsões da IBM para os próximos cinco anos, a mais arriscada de todas não envolve mudanças tecnológicas. É que, segundo os investigadores da empresa norte-americana, 80 por cento da população mundial – ou 5600 milhões de pessoas – terá um telemóvel até 2016, o que irá eliminar o fosso tecnológico entre ricos e pobres.

Fonte: Publico

domingo, 18 de dezembro de 2011

«Chovem» maçãs no Reino Unido


Imagine que estava a passar na rua e começavam a chover maçãs. A situação pode parecer impossível, mas aconteceu aos moradores de uma das principais ruas de Coventry, no Reino Unido. Os meteorologistas justificam que um vórtice de ar pode ter levado frutas que foram soltas no local.

A «chuva» de maçãs ocorreu na última segunda-feira, de acordo com o diário britânico «The Telegraph». A queda desta fruta do ar atingiu para-brisas de carros e as pessoas que circulavam na rua.

A insólita queda de maçãs do ar pode ter sido causada por uma corrente de ar que arrastou as frutas de um jardim ou pomar próximo, acabando por as soltar no cruzamento entre as ruas Keresley Road e Kelmscote Road. Os meteorologistas consideram que é possível que as frutas tenham sido expelidas por um tornado.

«Basicamente, este tipo de eventos são causados quando uma vórtice de ar, espécie de mini-tornado, arranca coisas da terra carregando-as pela atmosfera até que o ar à volta as faça cair de novo», explicou Jim Dale, meteorologista-chefe do Serviço Climático Britânico.

IOL

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Homem íman atrai 50 colheres e entra no Livro do Guinness


Georgiano entra diretamente no livro dos recordes como o homem que atrai um maior número de colheres ao seu corpo magneticamente.

Chama-se Etibar Elchiyev e já é conhecido por homem-íman. O georgiano já está no Livro dos Recordes do Guinness depois de atrair 50 colheres ao seu corpo por magnetismo.

Mas há mais, e mais pesado. Etibar exibiu-se em Tbilisi, na Geórgia, perante centenas de pessoas com mais alguns truques atraindo, por exemplo, um capô de um carro ao seu corpo.

Na verdade, esta não é a primeira vez que surgem notícias sobre pessoas com estes estranhos ‘poderes’. Em maio passado, falamos-lhe sobre Ivan, um jovem croata também ele perito em colar coisas ao corpo magneticamente.


Ivan, o terrível rapaz íman que atrai quilos de metal (vídeo)


Não. Não é uma personagem de ficção científica. É um rapaz, de carne e osso, que consegue atrair metais e transportar até 25 quilos de ferro, como se o seu corpo fosse um íman. E por isso o magnético Ivan Stoiljkovic é uma atração na aldeia onde vive, na Croácia... Além de metais, Ivan 'cola-se' à louça e avaria um computador, se se aproximar do aparelho.

São histórias que impressionam e que... atraem a atenção de qualquer um: o pequeno Ivan Stoiljkovic, de seis anos, tem um poder oculto, que se traduz na atração de metais, como se o seu corpo fosse um íman.

São telemóveis, frigideiras, talheres, telecomandos, entre outros materiais que tenham, na sua composição, qualquer tipo de metal. Mas não só objetos metálicos. Ivan Stoiljkovic contraria a gravidade com simples pratos, que se colam ao corpo. E se estiver perto de um computador, o aparelho avaria...

O magnetismo do seu corpo é associado a um fenómeno paranormal, que a família alimenta. Segundo o avô de Ivan, a criança tem um poder oculto, capaz de eliminar a dor de qualquer corpo, com um simples aproximar de mãos. Não é encontrada uma justificação médica para este caso pouco vulgar.

O pequeno croata, natural da cidade de Koprivnica, é um poço de força, capaz de transportar quilos de cimento – em quantidades pouco normais, tendo em vista a sua tenra idade.

Eis as imagens:






Vacina contra cancro do pulmão descoberta em Cuba


Chama-se CIMAVAX-EFG e é uma vacina contra o cancro do pulmão, fruto de 15 anos de investigação. Já foi patenteada em Cuba e representa um avanço significativo no combate a um dos cancros mais letais. Mil doentes já estão a receber este tratamento inovador. A equipa estuda a possibilidade de o mesmo princípio ser aplicado em cancros da próstata, do útero e da mama.

A descoberta desta vacina, por parte de cientistas cubanos, poderá transformar um cancro letal numa doença crónica. Quinze anos depois do início da pesquisa, a vacina CIMAVAX-EFG foi desenvolvida, patenteada e aplicada.

Este avanço no tratamento do cancro do pulmão foi anunciado ontem, através de uma entrevista da responsável pela pesquisa, Gisela González. Os investigadores esperam controlar a doença, com a nova terapêutica, e eliminar a mortalidade associada.

A investigação resulta do controlo de uma proteína que o ser humano tem e que fica descontrolada quando existe um cancro, numa reação natural do corpo, que rejeita ‘seres estranhos’.

O sucesso e eficácia da vacina foram comprovados em mil doentes, que não registaram qualquer efeito secundário e apresentaram melhorias significativas. Já patenteada, a CIMAVAX-EFG será aplicada em massa, em Cuba, devendo chegar aos mercados estrangeiros – entre os quais os países europeus – após o registo da mesma.

A equipa de investigadores vai agora avaliar se o mesmo princípio de tratamento poderá ter efeitos igualmente positivos noutros tipos de cancro: da próstata, útero e mama. “Já temos dados encorajadores nestes cancros, mas ainda é cedo para uma conclusão”, revela Gisela González.

Esta vacina é indicada para pacientes em estado terminal, que já tenham atravessado processos de quimioterapia e radioterapia, e que não enfrentem qualquer alternativa terapêutica.

A CIMAVAX-EFG não apresenta toxicidade e impede que o tumor se desenvolva, transformando o paciente num doente crónico. O seu resultado é o aumento do tempo de vida, em paralelo com a qualidade de vida do paciente.

A luta contra o cancro registou outros avanços, com outra vacina que pode travar o cancro da mama, do cólon, do ovário e do pâncreas. Testada em laboratório em ratos, a vacina conseguiu uma diminuição de 80 por cento do volume do tumor. Esta vacina treina o sistema imunitário, de forma a que este distinga a MUC1, proteína encontrada em 70 por cento dos cancros mais agressivos.


Investigadores do CERN dizem estar perto de localizar a "partícula de Deus"


Os cientistas dedicados à procura do misterioso Bosão de Higgs, também conhecido como a"partícula de Deus", anunciaram hoje terem dado passos importantes para localizar a que é considerada a mais elementar das partículas atómicas constitutivas do universo.

"É ainda demasiado cedo para tirar conclusões definitivas. Há ainda necessidade de acumular mais dados, mas estabelecemos fundações sólidas para a pesquisa apaixonante que se seguirá nos próximos meses", afirmou Fabiola Gianotti, responsável pela experiência ATLAS conduzida no acelerador de partículas do Centro Europeu de Investigação Nuclear (CERN, na sigla em francês).
O Bosão de Higgs é ainda uma formulação teórica, postulada em 1964 pelo físico britânico Peter Higgs, mas se as experiências realizadas no CERN – divulgadas hoje numa conferência transmitida via Internet – confirmarem a sua existência ficará aberto o caminho para a explicação da constituição de toda a matéria do universo.

O cientista francês Bruno Mansoulié, que participa nas experiências para localizar "a peça que falta" no puzzle da constituição do universo, disse na conferência, destinada a fazer o balanço dos avanços na pesquisa, que "o que falta saber (sobre a partícula fundamental) é se existe realmente e qual é a sua massa", questões que os cientistas esperam estar mais próximos de poder responder.

Durante este ano, o acelerador de partículas do CERN – um "túnel" em circunferência com 27 quilómetros de extensão construído a cem metros de profundidade junto à fronteira suíço-italiana – produziu 400 mil colisões de partículas subatómicas - uma espécie de simulação do momento fundador do universo, o chamado Big Bang - que permitiram aos cientistas acumularem dados importantes para a busca do Bosão de Higgs.

"Esta acumulação de dados permite assinalar um progresso sensível na busca do Bosão de Higgs, mas não é suficiente para decidir sobre a existência ou não existência dessa partícula fugidia", diz um comunicado do CERN divulgado hoje.

As experiências ATLAS e CMS realizadas pelos cientistas que trabalham com o acelerador produziram colisões de protões, em cujas "explosões" de partículas os investigadores esperam conseguir encontrar a marca do"tijolo mais básico" da constituição de toda a matéria.

A nota informativa conclui que "não será certamente necessário esperar muito tempo para ser obtida a necessária quantidade de dados e é possível esperar que o 'enigma' seja resolvido em 2012".

Fonte: cienciahoje.pt
NOTA PESSOAL
Com o Calendário Maia a apontar o caminho para o fim do Mundo em 2012 bem como as conhecidas profecias Papais de São Malaquias e agora surge também a "particula de Deus" do CERN. Na minha opinião tudo isto é de mais para ser coincidência. Será que vai ser mesmo desta???

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O cão com mãos de gente

Um autarca peruano e a água que torna os homens gay


Presidente de Huarmey alertou para o perigo do abastecimento que chega de uma cidade vizinha poder aumentar o número de homossexuais

A água pode provocar a homossexualidade masculina? O presidente da câmara da cidade peruana de Huarmey acredita que sim, tudo por causa dos elevados níveis de estrôncio que teme que possam chegar às torneiras locais com um novo sistema de abastecimento.

«O estrôncio reduz as hormonas masculinas e rapidamente estaremos como Tabalosos e outras cidades, onde a percentagem de homossexuais está a crescer», disse José Benítez, na apresentação do projecto de abastecimento, segundo cita o jornal espanhol «ABC».

O autarca referia-se à cidade de onde provém a água para Huarmey, Tabalosos, que foi alvo de uma reportagem televisiva há uma década, que atribuía à água a responsabilidade do aparecimento de 14 mil homossexuais entre a população.

A resposta a este receio foi dado pelo presidente do Colégio de Farmacêuticos de Lima, que desmentiu estes argumentos. O responsável disse que o estrôncio pode provocar cancro, anemia ou problemas cardiovasculares, mas não a alteração da tendência sexual dos homens.

Esta não é a primeira vez que um governante sul-americano alerta para o «perigo» do que se ingere ser responsável pela homossexualidade. No ano passado, Evo Morales, presidente da Bolívia, disse que comer franco poderá ter o mesmo efeito nos homens, tal como contribuir para a calvície masculina.


Fonte: IOL

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Cão que anda como gente

Nasceu no Hawai apenas com as patas traseiras mas isso não impede que Steve seja um cão feliz, saltitando nas patas traseiras e brincando com os donos...




quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O material metálico mais leve do mundo



Tem uma densidade não superior a 0,9 miligramas por centímetro cúbico e é constituído por 99,99% de ar.

Uma equipa de investigadores dos EUA afirma ter produzido aquele que poderá ser o material menos denso do mundo.

O trabalho, realizado em conjunto pela Universidade da Califórnia, Universidade de Irvine, Laboratórios HRL e o Instituto de Tecnologia da Califórnia, foi recentemente publicado na revista "Science" .

Fonte: economico.sapo.pt

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Encontrada múmia extraterrestre no Peru




A notícia do momento é ter-se encontrado no Perú, uma múmia com uma cabeça que se pensa ser extraterrestre.

Se procurarem no Google, vêem já 10 milhões de páginas dedicadas a isso.
E isto só em inglês. Noutras linguagens, o número multiplica-se consideravelmente. Em português, são já 300.000 websites.

E não pensem que são só sites pseudos. Não.
Vários websites respeitados estão a divulgar esta notícia, e pior ainda, alguns deles estão a divulgar em secções de ciência e do espaço.
Alguns websites “respeitados”: aqui, aqui, e aqui.
A própria comunicação social Peruana está a divulgar esta notícia como sendo fenomenal.

Então e qual é a notícia?

A notícia diz-nos que o antropólogo Renato Dávila Riquelme, do Museu Privado Ritos Andinos, de Andahuaylillas, em Cuzco, Perú, anunciou a descoberta de uma múmia com características “não humanas”.
Essas características extraterrestres foram confirmadas por médicos espanhóis e russos.
Dávila Riquelme informou à comunicação social Peruana (nomeadamente à RPP) que o corpo tem 50 centímetros de altura, uma cabeça triangular, cavidades dos olhos desproporcionais, fronte aberta e molares.
“Pensávamos que era uma criança mas médicos espanhóis e russos viera

m e nos confirmaram que, efetivamente, é um ser extraterrestre”, assegurou o antropólogo.
Este ser extremamente parecido com uma criança humana com problemas de hidrocefalia, foi assim confirmada por médicos anónimos como sendo a primeira múmia extraterrestre descoberta na Terra.
O Dr. Banesh Bannerjee, das Nações Unidas, já disse que é provável haver muitas outras múmias extraterrestres na Terra, e que é o dever dos antropólogos as encontraram.
Esta descoberta, que fez com que o Governo Peruano andasse já a colocar algumas informações sob segredo de estado, prova de uma vez por todas que os crentes nos Antigos Astronautas Extraterrestres têm toda a razão.
Especialistas anónimos em astrobiologia dizem que a cabeça do extraterrestre p

rova que é de uma espécie doplaneta Zeeba.

Que digo eu sobre isto? Será mesmo a prova de vida extraterrestre inteligente que visitou o planeta Terra no passado?
Ou será, como parece indicar este vídeo, simplesmente uma manobra de marketing aproveitada pelo Museu e pela vila Peruana para fazer crescer o número de turistas?

Houve duas coisas que me saltaram logo à vista: as referências ao planeta Zeeba e ao Dr. Banesh Bannerjee.
Já os tinha lido anteriormente.
Fui tentar perceber se realmente EU tinha razão sobre a fonte desta notícia…

Realmente, o Dr. Banesh Bannerjee, que por vezes é das Nações Unidas e outras vezes é professor no M.I.T., aparece em muitas notícias neste website de que me lembrei.


O planeta Zeeba também aparece tantas vezes nesse “jornal” que até chateia.

Já falei nesse jornal, quer numa notícia sobre uma Nuvem do Caos que vinha dissolver a Terra em 2014, quer numa notícia sobre um suposto Ataque Extraterrestre.

O jornal desta notícia é o já famoso Weekly World News, que é um tablóide conhecido por inventar as notícias que publica… porque é essa a função desse tablóide. É um tablóide satírico!!! É como o The Onion, ou o Inimigo Público. É para a gente se rir, mas não levar a sério.
No entanto, de vez em quando, os péssimos jornalistas e os crentes acéfalos em disparates assumem que notícias nesses jornais satíricos têm que ser verdade… e pronto, passamos a ter mais uns milhões de websites a divulgarem puras parvoíces como se fossem verdade.

Quem acredita neste tipo de notícias neste tablóide satírico, acredita obviamente em toda


s as outras também. Incluindo esta notícia que só pode ser verdade. Diz o jornal que se as raparigas fizerem topless constantemente (ou seja, na vida diária, na rua e em todo o lado) podem viver mais 10, 20, ou 30 anos!! Quanto mais andarem em topless, mais vivem. Isto é uma investigação do Instituto para o Estudo dos Seios, e o Dr. Andrew Mansfield, diretor do Instituto, confirma a veracidade destas informações. A Dra. Eleanor Zeitzer, fundadora do Instituto de Estudos sobre o Envelhecimento, também confirma os resultados deste estudo. Ou seja, esqueçam tudo o que eu disse atrás!!! Obviamente que o jornal diz a verdade, porque este estudo só pode ser verdadeiro!!! Vá lá, meninas… sigam as recomendações médicas :P

Voltando à notícia em causa, note-se que os Incas (com a capi


tal em Cuzco) deformavam os crânios, alongando-os, como sinal de importância/status social. O mesmo faziam os seus antepassados na mesma zona, por motivos religiosos e estéticos.
A nossa leitora, Tereza Satiko, enviou-nos esta foto que ela tirou no Museo Nacional de Arqueologia, Antropologia e Historia del Perú em Novembro de 2010:



Não faltam crânios deste género… e todos bem humanos!

Marketing para aumentar o número de turistas, a juntar a uma posterior notícia satírica num tablóide conhecido por inventar estórias, dá em milhões de crentes em puras parvoíces.

Como diria Albert Einstein: “Só 2 coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana, e eu não estou certo quanto ao Universo.”


Fonte: AstroPT.org


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Líderes mundiais a beijarem-se na boca 'contra o ódio'



A Benetton lançou esta quarta-feira uma campanha de publicidade que promete espalhar controvérsia pelo mundo fora. A marca de roupa italiana criou uma série de imagens que retratam líderes mundiais a beijarem-se na boca sob o lema «Unhate - Contra o ódio», e planeia expô-las em 'outdoors' que estarão localizados em várias cidades do mundo.

A marca italiana está decidida a apostar no poder da imagem. E, pelos exemplos até agora revelados, pretende tirar partido desse poder para veicular uma mensagem: «Unhate – Contra o Ódio», que dá o título a esta campanha.


Para reforçar o já de si forte poder das imagens criadas, a Benetton anunciou que vai colocar os ‘outdoors’ em locais estratégicos. Uma das imagens da campanha junta o Papa Bento XVI a Ahmed Mohamed el-Tayeb, imã da mesquita Al-Azhar, do Cairo, o mais importante centro de estudos islâmico sunita do mundo. Neste caso, tanto a escolha do local como da imagem são arrojados.


A imagem mostra ambos a beijarem-se na boca, e a Benetton tenciona colocar a imagem num 'outdoor' à entrada da cidade do Vaticano, junto ao Castelo Sant’Angelo, em Roma.

Papa a dar um beijo a Safwad Hagazi, imã do Cairo

A marca revelou que pretende transmitir uma imagem de reconciliação e esperança com o poder simbólico da campanha. A Benetton pretende até colocar um 'outdoor' em Tel-Aviv com o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, e o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, a beijarem-se.


Os exemplos não param por aqui. As restantes imagens divulgadas pela marca mostram outros beijos na boca entre vários líderes mundiais. A imagem da chanceler alemã Angela Merkel com Nicolas Sarkozy, presidente francês, vai ser projectada na fachada do edifício da bolsa de Milão.


Junto à catedral da mesma cidade, a marca vai colocar um 'outdoor' a mostrar outro beijo, desta feita entre o presidente dos EUA, Barack Obama, e o seu homólogo chinês, Hu Jintao.


Resta aguardar pelas reacções que a campanha vai espoletar. O convite para «não odiar» da marca poderá erguer um sentimento de revolta no público ou, tal como o desejado, despertar nos «cidadãos do mundo» um sentimento de mudança e reconciliação.


A Benetton começou a recolher controvérsia na década de 90 do século passado, quando começou a apostar em simbólicas e arrojadas campanhas de publicidade. Na altura, a marca começou a divulgar imagens com mensagens com temas relacionados com o racismo, a SIDA e até com a guerra dos Balcãs.


Fonte: SOL

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Sangue produzido em laboratório utilizado pela primeira vez numa pessoa


Um grupo de cientistas conseguiu concretizar com sucesso a primeira transfusão de sangue produzido em laboratório. A solução está longe de poder ser utilizada em larga escala em doentes, mas é um passo importante para a medicina – numa altura em que cada vez mais doenças exigem transfusões regulares.

A investigação, publicada no jornal médico Blood, foi desenvolvida por um grupo de cientistas da Universidade Pierre e Marie Curie, em França, e concretiza um sonho da comunidade médica que soma mais de 50 anos. Luc Douay, responsável pelo trabalho, conseguiu extrair células estaminais hematopoiéticas (que dão origem a todos os tipos de células do sangue) da medula óssea de um dador voluntário e, posteriormente, fez com que estas crescessem em laboratório e se transformassem em glóbulos vermelhos.

Contactada pelo PÚBLICO, a hematologista Maria João Costa, do Hospital de Santa Maria e professora na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, começou por explicar que “para já a descoberta não tem qualquer impacto prático, mas representa um grande avanço para a medicina”.

A equipa francesa “etiquetou” eritrócitos produzidos em laboratório e, depois, injectou-as no mesmo voluntário. Ao todo foram cerca de dez mil milhões de células, o que equivale apenas a dois mililitros de sangue. Ao fim de cinco dias os investigadores verificaram que entre 94% e 100% das células continuavam a circular no corpo do dador.

Ao fim de 26 dias a percentagem situava-se entre os 41 e os 63% – o que corresponde à taxa normal de sobrevivência deste tipo de células. Em termos de função, revelaram-se capazes de transportar oxigénio da mesma forma que as células que já circulavam no dador. Luc Douay, citado pela New Scientist, considera, por isso, que o trabalho representa um grande passo para a investigação médica e que “os resultados são promissores quanto à possibilidade de criar uma reserva ilimitada de sangue”. O cientista recordou que, apesar de o número de dadores de sangue em todo o mundo ter vindo a aumentar, há países com números muito elevados de doenças infecciosas, como é o caso do VIH/sida, onde a concretização deste tipo de transfusão poderia trazer muitas vantagens. Um dos maiores benefícios seria a produção de sangue tipo 0 negativo, conhecido por “dador universal”, por ser compatível com quase toda a população, apesar de só 7% das pessoas terem este grupo sanguíneo.

Como produzir em quantidade suficiente?

No entanto, o grande problema que se coloca à comunidade científica é como produzir a partir das células estaminais sangue em quantidade suficiente para se fazer uma transfusão, já que seriam necessárias 200 vezes a quantidade utilizada no ensaio. Aliás, muitos investigadores têm precisamente tentado sintetizar em laboratório um substituto artificial do sangue para contornarem este problema e para conseguirem um produto de maior durabilidade e que não necessite de refrigeração para poder resistir a situações de catástrofe e para ser utilizado em locais mais remotos.

Mas cria-se outro entrave: um produto artificial, ao contrário do sangue produzido a partir da medula óssea, exigiria muitos mais testes de segurança e demoraria muito até ser aprovado. Nos Estados Unidos uma descoberta já foi rejeitada precisamente pelos efeitos secundários detectados. A solução, segundo alguns investigadores, passa por utilizar células estaminais de embriões e não de adultos, que permitiriam produzir uma maior quantidade de sangue, mas que esbarram igualmente em várias polémicas relacionadas com o uso de embriões em investigações científicas e com o próprio patenteamento das mesmas.

Já em Outubro, uma equipa da Universidade de Edimburgo, Escócia, anunciou que desenvolveu um método para extrair células estaminais adultas da medula óssea e criá-las em laboratório de forma a produzir novas células que actuem como os glóbulos vermelhos. Os mesmos cientistas também estão a investigar a criação de substâncias alternativas semelhantes ao sangue, que possam ser injectadas no corpo para servirem de “rolha” enquanto não é possível a realização de uma transfusão.

Questionada sobre a importância de ter sangue produzido em laboratório em países como Portugal onde a doação é benévola e as reservas, em geral, costumam ter bons níveis, a especialista Maria João Costa sublinha que “é sempre melhor ter um produto fabricado”, visto que o sangue dos dadores “implica muitos estudos em termos de compatibilidade e de doenças virais transmissíveis como as hepatites ou a sida”, que poderiam ser evitados se o produto fosse artificialmente produzido. “Poderá vir a ser um processo mais rápido, mais seguro e mais barato, ainda que não numa primeira fase”, acrescentou.Apesar de a doação de sangue ser gratuita, Portugal não é totalmente auto-suficiente e precisa de comprar alguns componentes de sangue: a importação custa ao país cerca de 70 milhões de euros por ano, sendo que as transfusões apresentam também vários riscos para os doentes, nomeadamente em termos de infecções ou de doenças difíceis de detectar, como é o caso da BSE, conhecida como “doença das vacas loucas”, que seriam potencialmente solucionadas pelo produto artificial.

Fonte: Publico

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Raiz em forma de corpo de mulher colhida na China


Um agricultor da região de Guizhou, na China, tirou da terra raiz que mede mais de 40 centímetros e pesa cerca de seis quilos. Planta é agora atração turística.

Dexun Zheng, um agricultor chinês, está a ficar conhecido em todo o mundo depois de ter colhido uma raiz de forma insólito. Na parte da planta é percetível de forma clara identificar os dois olhos, o nariz, as duas pernas e até os dois seios.

A raiz pesa cerca de seis quilos e mede mais de 40 centímetros. Já a parte da folha pode ser compreendida como sendo o cabelo da mulher.

Tudo aconteceu na reigão de Guizhou, na China, e a raiz já se tornou numa autêntica atração turística naquela zona.


Fonte: PTJornal

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Tablet OLPC vai cair do céu em aldeias remotas


O novo tablet da OLPC vai literalmente cair do céu. Os computadores vão ser largados, a partir de helicópteros, em aldeias de lugares remotos, às quais os membros da organização voltarão passado um ano para avaliar o resultado.

A ideia é que não haja um contacto inicial entre os responsáveis e as crianças, para promover uma aprendizagem sem a intervenção de educadores. O método consiste em dotar as crianças de ferramentas e deixá-las tratar do resto, tirando partido da sua curiosidade de tempo livre.

Os planos foram descritos por Nicholas Negroponte, presidente da organização One Laptop Per Child (OLPC), durante a conferência Open Mobile, que começou ontem em São Francisco (EUA), relata oTechCrunch.

Segundo explicou o mentor do projeto que visa disponibilizar às crianças de países não desenvolvidos um tablet de muito baixo custo, existem estudos que sustentam o sucesso do método de aprendizagem que pretendem pôr em prática com o novo método de distribuição dos computadores.

Embora as primeiras experiências de implementação do tablet XO-3 se tenham revelado positivas, com centena de milhares de crianças no Peru a usarem o equipamento, alegadamente para ensinar os pais a ler e os dispositivos a provarem ser resistentes e duráveis, o maior desafio continua a ser fazer os computadores chegarem aos seus destinos.

As dificuldades registadas levaram o responsável a propor uma nova abordagem. "Vamos literalmente levar os tablets e atirá-los dos helicópteros", afirmou Nicholas Negroponte, citado pelo blog especializado.

O presidente da OLPC acredita que os equipamentos são suficientemente fáceis de utilizar para permitir que as crianças os aprendam a usar sem instruções. Anda assim, está previsto que a organização se desloque aos locais passado um ano, para ver como correu o plano.

O pior que pode acontecer é "um irmão mais velho ficar-lhes com o computador para ver pornografia. É a vida", admitiu.

O tablet a ser usado deverá estar pronto no final de 2012, tendo como base o design revelado há cerca de um ano e incluindo um painel solar para recarregar a bateria e um ecrã de 10 polegadas da Pixel Qi, concebido para permitir a visualização mesmo sob luz solar.

Fonte: Tek.sapo.pt

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Saiba qual é o seu número entre a população


Milhares de milhões de pessoas viveram antes de nós, mas saber a que “número” corresponde o nosso nascimento – tal como hoje se prevê que nasça o bebé 7000 milhões – não é assim tão distante quanto se possa imaginar. As Nações Unidas desenvolveram uma plataforma onde é possível descobrir esse número.

Para isso, basta fornecer algumas referências pessoais básicas – como a data de nascimento – para o programa indicar quantas pessoas (e em que continentes) nasceram antes de nós desde o primeiro homo sapiens. Também é possível saber quantas pessoas estavam vivas no dia em que nascemos - ou seja, qual é o nosso "número" individual. Todos os dados sobre a população mundial a partir de 1950 utilizados no site baseiam-se em informação da ONU de 2010. Os dados anteriores a 1950 referem-se a informações actualizadas em 2002, esclarecem as Nações Unidas.

Clique aqui para abrir o programa: http://www.7billionandme.org/about-you.php


Fonte: Publico.pt

População mundial chega aos sete mil milhões


As Nações Unidas garantem que o bebé número sete mil milhões do mundo nasce esta segunda-feira, dia 31 de outubro de 2011. Apesar de ser impossível prever onde nascerá, a Organização aposta que será em Uttar Pradesh, o Estado mais populoso da Índia, onde nascem 11 crianças por minuto.


É hoje que a população mundial chega aos sete mil milhões. E com 200 mil pessoas a nascer por dia os especialistas preveem que, até ao final do século, se ultrapassem os dez mil milhões de pessoas na Terra. Cerca de metade da população mundial atual nasceu nos últimos 40 anos.

"Atualmente, a população mundial está a crescer ao ritmo mais rápido da história", diz Carl Haub, demógrafo do Population Reference Bureau. "Em 1900, estávamos em 1,6 mil milhões. Em 99 anos, capotámos o número para 6,1 mil milhões", acrescenta.

A contagem decrescente começou há dez meses, no 19.º andar de um arranha-céus de Manhattan, onde uma equipa de cinco demógrafos de várias nacionalidades, cada um encarregue de estudar 40 países, territórios e áreas, começou a recolher e trabalhar dados.

Veja, em tempo real, a velocidade a que, em média, cresce a população mundial.

No momento em que este artigo foi publicado faltavam, estatisticamente, sete horas e 18 minutos para nascer o bebé que assinalará o marco dos sete mil milhões de pessoas no mundo. Mas as previsões demográficas têm sempre um grau de incerteza e, apesar de a ONU apostar que nascerá um rapaz em Uttar Pradesh, o Estado mais populoso da Índia, onde nascem 11 crianças por minuto, não deverá fazer o mesmo que em 1999, quando o então secretário-geral Kofi Annan pegou ao colo no bebé seis mil milhões, na Bósnia-Herzegovina. As Nações Unidas apontaram a presença de Annan em Sarajevo, naquele ano, como uma coincidência feliz, mas a situação foi conectada com conteúdo político, após uma década de guerra na ex-Jugoslávia.

Margem de erro
"Mesmo o melhor dos censos tem uma margem de erro de três por cento", afirma Álvaro Serrano, coordenador da campanha "Sete Mil Milhões de Ações", lançada pelo Fundo das Nações Unidas para a População. Mesmo com apenas um por cento de margem de erro, admitindo que as previsões da ONU são certeiras, isto significa que o bebé sete mil milhões tanto pode nascer hoje como pode ter nascido há seis meses, ou vir a nascer até abril de 2012. Ainda assim, a ONU decidiu assinalar o dia simbolicamente e transmitirá uma conferência de imprensa com o secretário-geral Ban Ki-moon esta tarde, em Nova Iorque.

As Nações Unidas afirmam ser agora necessário que os líderes mundiais se reúnam com vista a descobrirem soluções para resolver os problemas causados ​​por uma população em tão próspero crescimento, incluindo o aumento da pressão sobre os meios de subsistência naturais básicos, como os alimentos, a água e o combustível.

De facto, este marco histórico reacendeu velhos debates sobre o controlo da natalidade, a proteção dos recursos naturais e a redução do consumo.

Somos mais, mas estamos mais velhos
Muito do aumento da população ocorre no Continente Africano, o mais jovem do mundo e com maior taxa de natalidade. Segundo os estudos demográficos, a China - que deverá ser ultrapassada pela Índia como o país mais populoso do mundo nos próximos 50 anos -, o Brasil e a generalidade dos países da Europa deverão começar a diminuir o crescimento da sua população pelo envelhecimento contínuo.

Isto porque o crescimento é maior nos países mais pobres, onde os avanços na saúde mantêm as pessoas vivas por mais tempo, enquanto as taxas de natalidade ainda são relativamente altas. O resultado é uma diferença etária enorme entre os países mais desenvolvidos e os que estão em desenvolvimento: a parcela da população acima de 65 anos é de 21 por cento na Alemanha e de 23 por cento no Japão, enquanto que em países como a Gâmbia e o Senegal é de apenas dois por cento.

O envelhecimento da raça humana tem sido mais rápido do que qualquer um poderia ter imaginado há algumas décadas atrás. As taxas de fertilidade caíram globalmente e, simultaneamente, a esperança média de vida aumentou. Mas a transição demográfica abrupta criou uma forte turbulência económica. O envelhecimento da sociedade transformou-se numa crise internacional de grandes proporções. De repente as economias mais desenvolvidas estão desesperadas por bebés, porque precisam de mais trabalhadores para fornecer bens e serviços a um cada vez maior número de reformados e pensionistas. Com efeito, a transição demográfica tem sido um fator significativo na crise financeira na Europa, com o número de trabalhadores a diminuir drasticamente e de forma constante em relação aos aposentados.

A taxa de fecundidade em Portugal, na Alemanha, na Itália, em Espanha e na Grécia é inferior a 1,5 filhos por mulher, drasticamente menor do que o valor considerado ideal para a "substituição" da geração anterior, de 2,1 filhos por casal (a taxa de 0,1 é a acrescentada para contar com as crianças que não atingem a idade adulta).

Segundo o portal Pordata, no momento da publicação deste artigo Portugal teria uma população de 10.568.253 e hoje terão nascido 115 bebés.


Fonte: Publico.pt